fbpx

Blog

Tudo o que você precisa saber sobre o vilarejo hotel fazenda

Uma história de chocar

Essa é uma história vivida e testemunhada pela nossa matriarca, Dona Lili Mello, que ama os animais que vivem na nossa fazenda. Sempre muito atenciosa, é ela que nos conta esse causo de chocar.

Era uma vez um lindo casal de galinha garnizé. Viviam felizes pelos jardins de uma fazenda. Cisca daqui, cisca dali, comiam uma graminha verde, uma minhoquinha e até um pequeno grilo saltitante. Ai que delícia! Eles eram inseparáveis. Mas um belo dia Jojoca resolveu pedir a Lilica em casamento. Esses eram os nomes deles. Ela, feliz da vida, não via a hora de concretizar esse sonho. Em breve casaram-se e logo quiseram formar uma família. Aí veio a dúvida, onde colocar os ovos? Tinha que ser um lugar seguro, onde o vento, a chuva e até mesmo um guloso lagarto não iriam colocar em perigo tua tão sonhada prole.


Saíram à procura, encontraram uma porta aberta e ela entrou, passeou pela sala onde se encontrava o casal dono da fazenda. E sem nenhuma cerimônia, achou melhor subir as escadas e ver o que havia lá em cima. Não encontrou nada que lhe parecesse muito apropriado. Mas sabia que ali estava em segurança. Rodou pra lá, pra cá, e resolveu subir em uma escrivaninha e lá colocou seu primeiro ovinho. A dona da Fazenda, ao ver isso, ficou feliz e procurou uma caixa de sapatos. Esperou até o dia seguinte pra ver se a Lilica iria voltar.


No dia seguinte, pra alegria geral, ela voltou. Fez todo ritual e subiu de novo as escadas. Logo depois estava lá o seu segundo ovinho. Jojoca ficava perto da porta, embaixo, esperando que ela cumprisse a sua missão. Tinha dias que a ansiedade dele era tão grande que ele subia no console da sala para esperá-la. Dai por diante ela repetia a mesma façanha: subia, botava mais um ovo, depois ia pra janela e anunciava toda feliz que, em breve, ia ser mãe.

  • Cococó, cococó, botei ovo! – ela cantava sempre feliz.

Até completar nove ovos. Aí então ela se deitou para chocar. Foram 21 dias sem praticamente comer e nem beber. A dona da casa, com pena de tamanho sacrifício, colocava vasilhas com milho e água próximos à garnizé. Após 21 dias, os pintinhos começaram a bicar e quebraram as cascas dos ovos. E, um a um, foi saindo. Ao todo, oito pintinhos. No dia seguinte, com a ajuda de alguns funcionários da fazenda, ela deixou a caixa de sapatos e foi alimentar com milho picadinho a sua prole. Desceu as escadas e um a um foi acompanhando. Ela agora está morando num condomínio lá no Pesqueiro. Jojoca não quis saber de nada, foi atrás, está junto com ela e serão felizes para sempre.

Pacotes e Promoções